Governo lança maior edital de fomento ao setor audiovisual do país

Palavras-chave:
O maior edital de fomento ao setor audiovisual do país foi lançado na Bahia pelo governador Rui Costa, em cerimônia aberta ao público, nesta segunda-feira (15), no Salão de Atos da Governadoria, em Salvador. A publicação do edital é resultado da captação do montante de R$ 20 milhões - maior volume de recursos em um único edital já conseguido junto à Agência Nacional de Cinema (Ancine) - para a produção de conteúdos audiovisuais inéditos sobre a Bahia e que serão exibidos na TVE. O Governo do Estado dará contrapartida no valor de R$ 820 mil, enquanto o restante será aportado pelo Fundo Setorial do Audiovisual. 
 
Foto: Amanda Oliveira/GOVBA

"Este é um momento singular na cultura baiana. É uma oportunidade que nosso audiovisual vai ter de fazer produção própria. É um orgulho e uma aposta. Apesar da crise, dos dois anos de queda de arrecadação, temos que continuar apostando aquilo que transforma a vida das pessoas. Este edital é a possibilidade dos produtores baianos expressarem toda a criatividade e todo o talento nas telas", afirmou Rui. 

O secretário da Educação, Walter Pinheiro, que foi autor da Lei do Audiovisual no Congresso Nacional, destacou que o lançamento do edital é um marco histórico. “Os produtores baianos ganham oportunidade de materializar e desaguar sua produção, para poder contar as histórias da nossa gente, destacando a identidade e os territórios da Bahia. É essa produção cultural que é capaz de contagiar os baianos, de contar nos quatro cantos da Bahia as nossas histórias”, disse.
 
Pinheiro também destacou que as escolas da rede Estadual possuem uma rica produção cultural e que o projeto Escolas Culturais, que será lançado ainda este ano, ampliará ainda mais esta característica. “Temos diversos alunos premiados, inclusive nessa área do audiovisual. Com as Escolas Culturais, esta prática será trabalhada ainda mais no conteúdo pedagógico em sala de aula”, destacou Pinheiro. O secretário ainda lembrou que o edital vai ao encontro do que foi proposto na Lei do Audiovisual, ao priorizar produtores independentes e conteúdos locais. “Foi uma dura batalha que enfrentamos ao propor esta política de cotas de conteúdos nacionais com prioridade para produtoras independentes”, afirmou.  
 
Com inscrições abertas até 17 de julho, o edital incentiva e abre espaço para a produção de conteúdos autorais, com destaque para a pluralidade de temáticas, tocadas por diferentes grupos sociais. Uma seleção pública vai permitir a escolha de projetos, que devem ser apresentados por pessoa jurídica, sediada na Bahia e registrada na Ancine como produtora independente.
 
Os selecionados firmarão contrato para receber do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb) o valor correspondente ao pré-licenciamento para exibição da obra na TVE. Os conteúdos produzidos podem envolver temas relativos a esportes, juventude, educação, mulheres, terceira idade, indígenas, afrodescendentes, agroecologia, turismo, LGBT, empreendedorismo, religiosidade, agricultura familiar, patrimônio e cultura regional. O edital estará disponível a partir desta terça (16), no site do Irdeb. 
 
Democratização
Investimentos para a democratização das produções já são realidade na Bahia. Um exemplo foi o grande destaque que o setor recebeu nos editais setoriais lançados pelo Fundo de Cultura, em julho de 2016. Somando os recursos destinados diretamente pelo Fundo de Cultura a outras fontes de fomento captadas junto ao governo federal, como o Programa Brasil de Todas as Telas, da Ancine, o aporte destinado ao setor foi de R$ 14,5 milhões. Esse valor corresponde a mais de um terço do valor investido em todas as áreas da cultura beneficiadas pelos editais, que totalizaram um investimento de R$ 40 milhões. 
 
Conteúdo inédito
Ainda durante o evento desta segunda (15), a TVE Bahia anunciou a exibição de 250 horas de conteúdo audiovisual brasileiro independente, inédito na Bahia. São 17 séries de ficção, 19 séries de animação, 48 série documentais e 10 telefilmes documentários. Os conteúdos têm como público-alvo crianças, jovens e adultos. O material é resultado da primeira chamada pública da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas do Programa Brasil de Todas as Telas. Um investimento de R$ 60 milhões em 83 produtoras brasileiras independentes das cinco regiões do país.     
Entre os conteúdos a serem exibidos na TVE estão seis obras de diretores baianos. São elas: 'A Bicicleta do Vovô', do diretor Henrique Dantas, da Hamaca Produções; 'Meu Irmão Nerd', da diretora Cecília Amado, da Truque Produtora de Cinema; 'Música da Minha Vida', com direção de Jorge Felippi e Gabriela Barreto, da Santo Guerreiro; 'Aprender a Sonhar', do diretor Vitor Rocha, da Caranguejeira Filmes; 'Travessias Negras', do diretor Antônio Olavo, da Portfolium Laboratório de Imagens; e 'Sertão de Dentro', do diretor Geraldo Sarno, da Truque Produtora de Cinema.
 
*Com informações da Secom

Notícias Relacionadas