Aula inaugural da rede estadual é marcada por protagonismo estudantil

Fotos: Claudionor Jr
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Os estudantes das escolas estaduais foram os grandes protagonistas do Programa de Abertura do Ano Letivo - Aula Inaugural – realizado, nesta quarta-feira (21), no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro - Escola Parque, no bairro da Caixa D´ Água, em Salvador. Vindos de diferentes Núcleos Territoriais de Educação (NTE), eles encantaram o público com apresentações de projetos científicos, música, dança, poesia, de audiovisual e outras práticas formativas e educativas, em suas distintas linguagens, que são desenvolvidas nas escolas para promover o protagonismo estudantil. A aula contou com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, e dos irmãos Macedo, Armandinho, André e Aroldo, em uma homenagem a Dodô e Osmar.
 
Ao dar as boas-vindas ao público, o secretário Walter Pinheiro destacou as ações que estão sendo desenvolvidas para fortalecer o eixo pedagógico nas escolas estaduais. “Hoje é um dia muito especial em toda a rede que, este ano, começa a experimentar algumas práticas pedagógicas que, inclusive, foram colhidas ao longo de todo o ano letivo de 2017, a partir de um diálogo com gestores e professores e um debate envolvendo a nova base curricular e a própria reestruturação do método pedagógico; a chegada dos novos coordenadores pedagógicos; o concurso que será realizado no dia 25; a mudança do ponto de vista de funcionamento com a chegada da internet da escola; a transformação do ponto de vista também da formação continuada para os nossos professores. Inclusive, ontem, iniciamos de forma pioneira no país uma formação para 24 mil professores, em parceria com a Universidade Federal da Bahia”, afirmou.
 
 
Pinheiro destacou como a escola está preparada para o ano letivo 2018. “Os nossos alunos estão encontrando um ambiente escolar e a perspectiva de uma virada fenomenal na Educação, com a introdução das Escolas Culturais, com novas práticas. Este ano, vamos ter diversos cursos no Ensino Médio nas áreas de teatro, dança, música, ciências, cursos de curta duração, inclusive associados ao empreendedorismo, trazendo para escola o caminho de volta, a oportunidade para aqueles que não puderam frequentar a escola na idade certa, mas hoje estão no mercado do trabalho. Este ano, o contexto principal é a territorialidade. Fizemos no início do ano uma boa Jornada Pedagógica e vamos fazer outra no meio do ano, como ocorreu no ano passado. E vamos seguir cumprindo as metas que o governador Rui Costa traçou que são, até o final do ano, todas as nossas escolas com ofertas de diversas frentes e, até 2019, com a chegada da oferta à distância em nível superior, principalmente, nas nossas escolas espalhas pelo interior do Estado”.
 
Protagonismo – Durante o programa, projetos desenvolvidos pelos estudantes e de grande alcance social foram apresentados. As estudantes Adrielle Bispo, 18 anos, e Islaine Medeiros, 17, do 4º ano do curso técnico de nível médio em Recursos Humanos, do Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães, em Alagoinhas, falaram um pouco sobre o trabalho social “Da escola para o mundo”, realizado no âmbito do Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado.
 
“Com o alto índice de violência do nosso bairro, decidimos realizar atividades que pudessem promover a socialização da comunidade trazendo-a para a escola no fim de semana. Por isso, realizamos diversas ações, como aulas de violino, violão e artesanato, além de atendimentos na área de psicologia. A ideia é ampliar para projetos dentro do universo do hip-hop, como grafite e rima. Com um ano de projeto conseguimos mudar a realidade de muitas pessoas”, contou Islaine.
 
Adrielle ainda destacou o reconhecimento dado ao projeto até internacionalmente. “Participamos de algumas mostras apresentando o trabalho que teve ótima repercussão. Fomos o único projeto escolhido para representar a Bahia no Criativos da Escola, em 2017. E através de uma premiação no Pará estamos selecionadas para a Mostra Latino Americana, no Peru, que acontece em outubro”, disse orgulhosa.
 
Também foram apresentados os oito estudantes da rede estadual que fazem parte do projeto Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC Júnior), promovido em parceria entre o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) de Salvador e a Faculdade Baiana de Medicina, que promove a iniciação científica para alunos do Ensino Médio. “Estamos divididos em diversas áreas, como cardiologia, ortopedia, odontologia e saúde pública, onde trabalhamos auxiliando os profissionais na pesquisa através de artigos, banco de dados ou trabalho de campo. Está sendo fantástica essa experiência, pois abre nova perspectiva sobre o lado profissional. Acredito que todos os participantes agora estão muito empolgados para seguir essa área de saúde”, explicou Natiana Rodrigues, 16, estudante do 2º ano do Colégio Estadual da Bahia – Central, no bairro de Nazaré.
 
Na área artística, que contou com apresentação de música, poemas, contos e vídeos, a ex-estudante Fabíola Pereira, 18, do Colégio Estadual Camilo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, premiada como “melhor atriz” na categoria Ensino Médio, do III Festival Internacional de Cinema Escolar de Alvorada (RS), falou da experiência de contar com um projeto de artes na rede estadual. “Com o projeto de teatro do CJCC de Vitória da Conquista, tive a oportunidade de conhecer um talento que não tinha explorado. E com isso, ainda pude ter essa grande experiência de participar do curta-metragem ‘Cicatrizes’ que me proporcionou esse prêmio. É muito importante o trabalho que está sendo realizado de trazer a arte para as escolas, como algo integral do currículo”, ressaltou.
 
 
 
>> Confira o áudio desta notícia
 

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

 
 

Notícias Relacionadas